Notícias

Falhas na lei permitem que Estado contrate empresas denunciadas por escravidão

Posted at 25/04/2011 | By : | Categories : Notícias | Comentários desativados em Falhas na lei permitem que Estado contrate empresas denunciadas por escravidão

Falhas na lei permitem que Estado contrate empresas denunciadas por escravidão

Fonte: Mercado Ético – Roberta Lopes, da Agência Brasil

A legislação brasileira ainda tem brechas que permitem que empresas inscritas na lista suja do trabalho escravo participem de licitações e fechem contratos com a administração pública. Segundo o secretário executivo do Conselho Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), José Guerra, o que está funcionando são as resoluções do Conselho Monetário Nacional (CNM).

“O que temos é o parecer do CMN que proíbe todas as entidades financeiras de emprestar a essas empresas que estão na lista suja. Temos ainda o pacto empresarial, gerido pela OIT [Organização Mundial do Trabalho], Instituto Ethos e a ONG [organização não governamental] Repórter Brasil. Esse pacto tem mais de 150 empresas que se comprometem a não fazer negócios com quem está na lista suja e elas cumprem isso”, disse.

Ele citou como exemplo o caso das empresas que deixaram de comprar álcool e açúcar da Usina Gameleira, que entrou para a lista suja.

O presidente da Repórter Brasil, Leonardo Sakamoto, reconhece que a lista suja do trabalho escravo é o principal instrumento de combate à exploração do trabalho análogo à escravidão, reforçada com iniciativas do Poder Público, como as resoluções do CMN. Apesar disso, ainda há lacunas em relação a contratos com a administração pública. A Lei 8.666/96, que regulamenta as licitações, não traz referência a empresas ou pessoas físicas denunciadas por manter trabalhadores escravos.

“A brecha não é só na questão do trabalho escravo. A Lei de Licitações deveria considerar impactos sociais, ambientais, trabalhistas e fundiários nas comunidades tradicionais, mas não considera isso. Na prática, considera preço e qualidade. A Lei de Licitações precisa ser reformada”, afirmou Sakamoto.

Ele disse que os estados do Tocantis e Maranhão aprovaram leis para proibir a administração pública de fazer negócios com quem está na lista suja, mas ainda falta a regulamentação dessas leis.

Tramita no Congresso Nacional um projeto de lei que faz alterações na Lei de Licitações, entre elas, a que veda a Administração Pública Federal de firmar contratos com empresas denunciadas por prática de trabalho escravo. O projeto está na Mesa Diretora da Camara dos Deputados.

(Agência Brasil)

Comente esta notícia:
www.martinsambiental.com.br
Martins Ambiental é uma empresa que coleta óleo de cozinha usado e dá destinação sustentável para o resíduo óleo de cozinha usado, óleo de fritura, óleo vencido, gordura de fritura, restos de óleo de soja de fritura usado, gordura vegetal usada, gorduras de fritura em geral, recolhemos em comércios, indústria, padarias,bancas e barracas de pastel, bancas e barracas de salgadinhos, escolas, condomínios, etc. Trabalhamos com a conscientização da população através de treinamento, palestras cursos.
Fazemos coleta seletiva de óleo de cozinha usado em condomínios, escolas, espaços em geral.
A Martins Ambiental também Assessora e presta Consultoria para empresas que desejam obter as certificações ISO 9.000, ISO 9.001, ISO 14.000 e ISO 14.001
tel. 011-3592-4795 e-mail: contato@martinsambiental.com.br

About martins

Comments are closed.